TV Justiça
Ponto Jus Twitter YouTube
TAMANHO Diminuir tamanho da fonte Aumentar tamanho da fonte
Notícias
A cultura das armas nos EUA
Programação
 | 28/07/2016 - 17:23

De tempos em tempos, aqueles que se posicionam contra a liberdade de se ter arma de fogo nos Estados Unidos ganham voz. Basta haver um grande massacre civil, o que é bastante comum em solo norte-americano. Um levantamento feito por pesquisadores dedicados ao estudo da violência no país revela que nos primeiros 165 dias deste ano, houveram 140 tiroteios em massa. Não é de se espantar. Já que não é necessário ter licença para ter armas.

Estima-se que 43% das casas nos Estados Unidos têm pelo menos um revólver. E mais: os americanos podem ter armas semiautomáticas, como metralhadoras. Em mercados, é possível comprar fuzis usados para derrubar helicópteros. Em 30, dos 50 estados do país, o porte de arma pode ser ostensivo. Isto é, o armado pode exibir o “troféu” sem nenhum constrangimento.
Um dos entrevistados do programa é o doutor em Relações Internacionais Juliano da Silva Cortinhas. Segundo ele, que já morou nos Estados Unidos, é muito comum haver o chamado “Gun Show”, um tipo de Feirão de Armas, onde cidadãos comuns trocam, compram e vendem todos os tipos de armamentos e munições. Mas Cortinhas pondera: “faz parte da cultura americana conviver com arma de fogo. Mas não faz parte dessa cultura observar homicídios. ”

O segundo entrevistado é o Mestre em Direito e autor de livros sobre o assunto, João Carlos Souto. No programa, ele dá uma aula de história, falando de como os Estados Unidos nasceram abraçados às armas e o motivo de isso acontecer. Para ele, hoje em dia, a ação do lobby dos fabricantes de armas é muito forte no Congresso Nacional americano. É um dos motivos de não haver mudanças legais no tema. Ele diz isso, sobre a estrutura a favor das armas: “são organizados, determinados... Primeiro para manter o porte de armas; segundo, a questão da saída de alguns estados da federação norte-americana. Embora proibida pela constituição, é pregada diariamente”.

Exibições:
 
Inédito: 25/07, às 20h.

Reapresentações: 26/07, às 10h30; 27/07, às 22h; 28/07, às 6h30; 29/07, às 19h; e 31/07, às 19h.